« Anterior Próxima »

Superga tem modelos divulgados na Vogue Brasil!

Postado em 19/02/2014

Mais uma vez a marca italiana Superga, com fabricação também no Brasil, é destaque na mídia impressa.

 

Desta vez, a marca foi divulgada na revista Vogue Brasil na edição de outubro de 2013, na reportagem foram divulgados modelos lisos, bicolores, estampados e com spike, todos criados com a assessoria da COMPOR.

Publicado em: Cases

Tendencias Verão 2015 são divulgadas na MK News!

Postado em 14/02/2014

Baseando-se nos desejos e necessidade dos consumidores atuais, a Designer e Consultora de Moda Tatiana Ritzel escreveu para a revista MK News falando sobre as tendências para o Verão 2015.

 

A publicação indica os três caminhos sugeridos e direcionados pelo Núcleo de Design da empresa Assintecal, são eles: NOVO MUNDO, SOL DA LIBERDADE e TERRA ADORADA.

 

O texto foi publicado na revista MK News Ano 16 nº 61 – Novembro 2013.

Publicado em: Cases

Moda que faz todo o sentido

Postado em 13/02/2014

A indústria de moda cada vez mais nos mostra que, mais que produtos “grifados”, é preciso ter produtos que combinem com o público. Quanto mais específico fica o target, mais valor tem o produto e, provavelmente, mais desejado ele será. Essa é uma evolução e tanto no mundo da moda, que passou por um período de pasteurização e que agora está valorizando mais o gosto do cliente do que o conceito do estilista.

 

Os novos consumidores estão cheios de novas exigências e para saná-las é necessário ter criatividade, espírito inventivo e ousadia. Segundo o especialista em indústria criativa Enrico Cietta, são estas características que devem andar juntas para um resultado de sucesso. É preciso que todas as atividades mercadológicas envolvidas no processo pensem de maneira inovadora para que haja um verdadeiro retorno econômico.

 

Esse funil no critério dos consumidores pode ter surgido do senso de personalidade que está cada vez mais se instaurando na sociedade, onde cada um quer ser único e original. E o resultado disso é simples: marcas competindo não só pelo preço do produto, mas também pelo valor emocional que ele tem sobre o consumidor. Nem sempre o grito de “oferta”, “sale” ou “liquidação” fala mais alto no ouvido do público-alvo.

 

É pensando nisso, nas expectativas desta nova leva de consumidores, que muitas empresas estão investindo em setores inteiros dedicados à indústria criativa. E há quem diga que somente aqueles que mantiverem vivo este pensamento inovador e ousado, sobreviverão e terão resultados de sucesso a longo prazo.

Publicado em: Tendência

Arezzo: de um salto surge um império

Postado em 10/02/2014

Uma obsessão que se transformou em uma incrível habilidade para prever tendências e assim, agradar milhares de mulheres vaidosas, construindo um verdadeiro império no mercado de calçados. Foi um pequeno distúrbio social de Alexandre Birman que deu início a sua vontade de criar sapatos, o empresário que tem mania de observar pés femininos por onde passa fez seu primeiro par aos 12 anos de idade. Este foi dado de presente ao pai, Anderson Birman, fundador da sapataria Arezzo.

 

Aos 19, Alexandre decidiu que queria ter sua própria marca de calçados femininos, e aí fundou a Shutz, que seria concorrente da própria Arezzo nos anos seguintes. Até que em 2007, pai e filho resolveram acabar com a concorrência familiar e uniram suas forças para criar o que se seguiu como a era de ouro da Arezzo, que hoje vale mais de 2 bilhões de reais, aumentando em cinco vezes o valor do faturamento. Mas qual a receita de sucesso desse grupo?

 

A Arezzo foi uma das primeiras brasileiras a criar marcas exclusivas para cada tipo de público, saindo da zona de conforto. A influência veio do exterior e a empresa começou a lançar mais coleções ao ano, mantendo o mercado aquecido e os consumidores atualizados das novidades. Resultado disso foi a criação de mais duas marcas além da Arezzo e Shutz, a Anacapri – especializada em modelos flats – e um ano depois, a Alexandre Birman – focada no mercado de luxo, mulheres de 20 a 45 anos da classe A.

 

Hoje, a Arezzo atende expectativas de diversos públicos com seus pares que valem de 100 a 2.500 reais nas lojas. Como fazer isso? Alexandre Birman tem em sua fábrica um ritmo acelerado de criações. São mais de 300 pessoas trabalhando no centro de inovação da empresa, desenhando 1000 novos produtos por mês, dos quais o próprio Alexandre escolhe cerca de 200 modelos que vão para as prateleiras. Esse ritmo pode ser um pouco da explicação do porquê a Arezzo vende tanto.

 

E tem mais. A última grande aposta do grupo foi a criação de uma loja Schutz, inaugurada em 2012 em plena Madison Square, em Nova York, onde disputa o desejo dos consumidores com grifes internacionais. E o futuro da Arezzo, segundo os empresários, é ter lojas espalhadas pelo mundo todo e conquistar clientes pela qualidade do produto. Segundo Alexandre Birman “Queremos conquistar clientes não porque somos brasileiros, mas porque fazemos sapatos espetaculares.” Que sirva de exemplo para nossas marcas. 

Publicado em: Cultura

Amazonas lança a nova Silhouette no Inspiramais Verão 2015!

Postado em 10/02/2014

Com todos os olhares voltados para o Brasil e com a Brasilidade a flor da pele, a evolução da linha Colorplac Pares - Silhouette é inspirada no Novo Mundo, a vida em meio ao caos urbano, a correria do dia-a-dia em meio as grandes cidades e a arte a que este universo nos remete.

 

A novidade foi apresentada no INSPIRAMAIS VERÃO 2015, em parceria com a COMPOR, trazendo ao mercado uma placa ousada e elegante com referencia no grafismo e geometria deste universo encantador.

Publicado em: Cases

« Anterior
Próxima »