Workshop Sistema Moda Brasil – Fortaleza/CE

Postado em 12/09/2014

      A Assintecal (Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos) está promovendo workshops pelo país para promover o conceito do Sistema Moda Brasil, criado em 2008 pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), para integrar as entidades da cadeira brasileira de moda. O SMB tem como alguns de seus objetivos desenvolver projetos que beneficiem a indústria da moda, compartilhar e integrar informações e experiências, buscar soluções em conjunto para problemas comuns, incentivar o cooperativismo e associativismo e desenvolver inteligência competitiva, entre muitos outros.

      No dia 28 de agosto, aconteceu o último Workshop Sistema Moda Brasil, na cidade de Fortaleza/CE, onde reuniu mais de 130 pessoas na FIEC (Federação das Indústrias do Estado do Ceará). O evento contou com quatro palestrantes que falaram sobre diversos assuntos relacionados ao tema. Tatiana Ritzel - ‘’Atendimento Tecnológico e Consultoria em Design’, Walter Rodrigues – ‘’Integração do Sistema Moda Brasil’’, Lucius Vilar ‘’Planejamento de Coleção’’ e Carol Garcia – ‘’Presumers: os novos influenciadores da indústria de moda e o impacto das redes sociais na imagem da marca’’.

 

 Tatiana Ritzel

 

      Aconteceram também, no mesmo dia, as primeiras consultorias na Materioteca de Fortaleza. Estas Materiotecas, tanto as físicas como as virtuais, tem como objetivo facilitar o acesso das empresas de calçados, empresários, designers e estilistas a diversos tipos de componentes.

      Além de empresários, estiveram presentes Ricardo Zanatta Bortoli, analista de comércio exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC); Luiza Lorenzetti, da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT); Maria Oirta Vasconcelos, gerente do Senai parangaba e Fernando Ribeiro de Melo Nunes, diretor regional do Senai/CE.

      O evento foi realizado pela Assintecal juntamente com o CICB (Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil)  e ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção) e contou com o apoio do Sebrae e parceria do Senai/CE, Sindcalf, Sinditêxtil, Sindroupas e Sindiconfecções.

 

Publicado em: Cases

NOME

EMAIL

COMENTAR

COMENTÁRIOS