Maratona Mude

Postado em 02/10/2014

      A Abicalçados promoveu durante os dias 26 e 27 a Maratona Mude, no Barra Shopping Sul, em Porto Alegre/RS. Foram dois dias muito intensos de batalha criativa e maratona de conteúdo, que contou com oito palestras e quatro workshops. O intuito do evento foi enfatizar a importância do desenvolvimento do design para aumentar a competitividade dos calçados brasileiros no cenário internacional. Os grupos participantes da batalha, contaram com o consagrado designer brasileiro Lino Villaventura como mentor durante a competição. 

 

      As quatro equipes tiveram 24 horas para construir três protótipos de calçados femininos de acordo com o briefing ‘’brasilidade’’. Os vencedores foram Camila Puccini, bacharel em Design com habilitação em moda, Cícero Ribeiro, estudante de Artes Visuais, Vinícius Kniphoff, Designer Visual e Ana Sabi, fotógrafa e estudante de Design Gráfico. Eles apresentaram três protótipos de calçados inspirados no primeiro avião, o 14-bis, criado pelo brasileiro Alberto Santos Dumont. O processo contou com o calçado sem processo de colagem, que permitia o reaproveitamento integral do material, de acordo com conceitos de sustentabilidade. ‘’Fomos a única equipe que construiu o solado na impressora 3D e o resultado foi satisfatório, esperamos conseguir decolar nosso avião’’, conta Vinícius Kniphoff, represtante da equipe vencedora. Os prêmios foram R$15 mil reais, bolsa integral para o curso de Design no Instituto Europeo di Design (IED), a ser realizado na Abicalçados e vale compras de R$500 nas lojas GAP.

 

 

mmude

 

 

 

 

      Dario Henke, consultor de Design estratégico da Abicalçados, explica que a ideia da competição é focar no processo de produção calçadista, ‘’O mote é trabalhar o design não só observando resultados, mas focalizar o processo, de onde vem as ideias, porque, na moda, existe muita cópia e poucos são vanguardistas.’’, comenta Dario. 

 

      Para Lino Villaventura, temos uma cultura colonizada que nos faz pensar que tudo o que vem do estrangeiro é melhor. Temos que partir de qualidade e originalidade para competirmos em nível internacional. O designer coloca que o evento é uma ótima oportunidade para profissionais demonstrarem criatividade e inovação no segmento. Um dos critérios de avaliação que ele fez questão, foi o uso dos sapatos e enfatizou que a principal característica de um calçado seja qualidade e conforto. ‘’Você ganha consumidores, admiração do mercado e interesse a partir da qualidade e originalidade, qualidade nós tempos, o que nos falta é originalidade’’, comenta. ‘’Foi realmente uma maratona, as quatro equipes trabalharam como se trabalha no ambiente da indústria, com as dificuldades inerentes ao processo como pressão por prazos, falta de materiais e necessidade de improvisos’’, disse o designer. ‘’A moda brasileira esta caminhando para ter uma identidade própria, com o calçado não seria diferente’’, completa.

 

      Após a batalha criativa, a Maratona Mude contou com oito palestras sobre criatividade, inovação, design, sustentabilidade, tendência, entre outros temas. Atingindo um público de 500 pessoas, entre estudantes, profissionais ligados ao setor, jornalistas e formadores de opinião. Roberta Weiand, idealizadora do Pret-a-template deu início ao ciclo de palestras, seguida de Bruna Ortega, diretora de moda da WGSN, Ítalo Massaru e Clayton Carneiro, diretores de arte e criação da revista Vogue Brasil, André Hidalgo, fundador e diretor da Casa de Criadores, João Pimenta, estilista, Rodrigo Krug, diretor da Cliever 3D, Edson Matsuo, ativista criativo da Melissa, Dimitri Mussard, representante da marca Twins For Peace no Brasil. 

 

      Além das palestras, o evento contou também com quatro workshops realizados em parceria com o Insituto Europeo Di Design (IED).

 

 

 

      Conversamos com uma das participantes das equipes da batalha criativa, Bruna Meurer, estudante de Design, que nos contou um pouco de como foi a experiência dela ‘’ Ser selecionada foi uma grande alegria tanto pra mim quanto pra minha equipe, ficamos super contentes e empolgados com esse grande desafio, afinal desenvolver 3 protótipos conceito sem ter qualquer noção qual material ia ser disponível, é colocar a cara para bater. A experiência foi incrível, ter o Lino Villaventura nos dando toda a assistência, as pessoas do shopping passando e acompanhando nosso desenvolvimento, pensar numa estratégia juntamente com o cronometro, choro de felicidade em ver nossos modelos saindo do papel e virando realidade, tudo feito por nós. A Maratona Mude tem extrema importância para expor o design calçadista brasileiro em evidencia. O designer tem que ''dar a cara pra bater'', ousar e por em pratica suas ideias e nada como 24 horas de puro improviso para provar isto. Todas as equipes fizeram um excelente trabalho estão todos de parabéns, só de participar somos vencedores.’’ .

 

      Também conversamos com Camila Puccini, da equipe vencedora, que também nos deixou a sua opinião sobre a Maratona Mude ‘’ O processo de participar de tal evento, com a presença de renomados profissionais do setor, é extremamente gratificante. Tivemos a oportunidade de conhecer pessoas das quais admirávamos e delas receber críticas e elogios acerca do projeto desenvolvido. Obter o feedback positivo de um trabalho, para nós designers, é a certeza de que estamos trilhando o caminho certo. É uma oportunidade única! acreditamos que todo profissional deva participar de eventos que sigam a mesma linha, se desafiarem e mostrarem seus trabalhos para o público sem ter medo de críticas!’’.

 

Publicado em: Cultura

NOME

EMAIL

COMENTAR

COMENTÁRIOS